Ciclo de debate 2

Convida: Prof. Dr. Florisvaldo Paulo Ribeiro Júnior – INHIS/NEAB/UFU

Tema: De batuques e trabalhos. Resistência Negra e a experiência do cativeiro
Data: 22/06/2017
Horário: 17:30 horas.
Local: Anfiteatro Bloco 5R - C e D

Resumo:Em meados dos anos de 1990 iniciei minhas pesquisas sobre a escravidão na região do Triângulo Mineiro examinando os processos-criminais envolvendo escravos da comarca de Uberaba. Apresentei os resultados mais substanciais deste trabalho historiográfico nos primeiros anos do século XXI. Desde então, como historiador, venho circulando entre os temas da escravidão e liberdade e suas derivações expressas a partir de meados do século XIX adentrando um pouco pelo século XX. Proponho-me assim, a apresentar uma fração destes resultados, sempre parciais, de pesquisas em que investigo a configuração das famílias negras em meio a experiência do cativeiro. Faço uso de diferentes fontes cartoriais – inventários, partilhas, cartas de liberdade, escrituras de compra e venda de escravos – entre outras. Meu argumento, acompanhando vasta produção historiográfica, é de que a escravidão e sua violência inerente não impediram que a subjetividade dos escravizados se manifestasse. Por outro lado, poderemos notar que os grupos familiares formados entre escravos, ou entre estes e as pessoas libertas e livres, foram fundamentais para a organização de formas diversas de resistência ao cativeiro com seus modos de vida e redes de solidariedades se projetando sobre os tempos da liberdade.